E leninismo funde-se com BDSM… porque Política e Erótica vão de mão dadas

<<Mas quando a submissa se despe perante um homem vestido, quando declara “faz de mim o que quiseres, que é nesse ser tua onde obtenho prazer”, inventa um mundo novo. O mundo dos militantes que põem toda a sua energia ao serviço duma causa. O mundo das gentes que, sem receberem benefícios nem remuneração por tamanho zelo, se entregam. Oferecem o melhor de si próprias: dão-se. Quando a submissa se entregar assim, começa a dinamitar de dentro a noção de poder − Amor devora o poder −. Ou, talvez, começa a ditar as normas. Faças o que fizeres, estou por cima. Não é que procure a dor: procuro-te com o que tenhas para mim. Tenho-te porque já não posso temer-te, lobo. E a submissa aranha torna-se loba. Ou lobo, o animal inquietante, o que olha dentro de nós: o que nos aguarda.

Do Livro da aranha. Performance titulada “Política e erótica vão de mãos dadas”.>>

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *


*

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>